www.amigosdatradicao.com.br
 


 
 
Busca
 
 
Menu
  Página Inicial
Vocabulário
  Oração do Gaúcho
  Adágios Gaúchos
  Anedotas de Gaúcho
  Dicionário Gaúcho
  Ditados Gaúchos
  Expressões Gaudérias
Costumes
  Churrasco
  Culinária
  Chimarrão
Cavalos
  Origem do Cavalo
  Nomenclatura
  Pelagem
  Fotos
Cultura
  As Lendas Gaúchas
  Os Mitos Gaúchos
  Danças Tradicionalistas
  Indumentária Gaúcha
  Tradicionalismo
História
  Cronologia Histórica
  Estrutura de um CTG
  Gaúcho e sua Origem
  Princípios Gaúchos
  Comportamento
  Ética Tradicionalista
  O Tropeirismo
  Formação da Estância
  Guerra dos Farrapos
Poesias
Músicas
  Cifras
  Letras
  Grupos Gaúchos
Galeria de Fotos
 
Participe do Portal
 
 
Receba Notícias por e-mail
 
Nome:
E-mail:

Adicionar Remover

 
Registro da Marca
   
Estrutura de um C.T.G. (Centro de tradições Gaúchas)
 
O MTG - Movimento Tradicionalista Gaúcho define Centro de Tradição Gaúcha - CTG como uma sociedade civil, de fins não econômicos, com número ilimitado de sócios e estruturada, inclusive quanto ao simbolismo, de acordo com a forma adotada nas origens do movimento tradicionalista gaúcho, tendo como finalidade a aplicação, em seu âmbito associativo e na sua área de influência, dos princípios e objetivos, publicados na Carta de Princípios do Movimento Tradicionalista Gaúcho. De acordo com este simbolismo, a estrutura administrativa dos Centros de Tradições Gaúchas obedece à seguinte nomenclatura:
a. A Diretoria, o Conselho e os Departamentos são designados, respectivamente, por:
  • Patronagem
  • Conselho de Vaqueanos
  • Invernadas
b. Os membros da Patronagem (Diretoria) denominam-se:
  • Patrão (Presidente)
  • Capataz (Vice-Presidente)
  • Sota-Capataz (Secretário)
  • Agregado das Pilchas (Tesoureiro)
  • Agregado das Falas (Orador)

c. Os diretores das Invernadas são chamados Posteiros
d. Os conselheiros chamam-se Vaqueanos
e. Os sócios efetivos do sexo masculino são denominados Peões e do feminino Prendas.
f. As reuniões dos Centros de Tradições Gaúchas denominado-as simbolicamente de:

  • Charla - Reunião administrativa, especialmente da Patronagem, mas poderá ser aplicada também as do Conselho de Vaqueanos;
  • Chimarrão - Reunião de confraternização dos sócios entre si e destes com a Patronagem, que faz uma prestação de contas, informa e dá esclarecimento sobre o andamento das atividades do C.T.G.;
  • Chimarrão Festivo - Reunião na forma da alínea anterior, porém acrescida de atividades artístico-culturais, com a participação de convidados especiais ou abertas ao público;
  • Ronda - Vigília cívica levada a efeito diariamente, durante as comemorações da Semana Farroupilha, nos locais onde arde a Chama Crioula, complementada, geralmente, com apresentações artísticas e culturais;
  • Fandango - Baile animado com música regional gauchesca, em que somente participam das danças pessoas tipicamente trajadas com vestimenta gaúcha;
  • Lida - Reunião de trabalho que pode ser geral ou abranger determinados setores como Secretaria, Tesouraria ou Invernada.

g. As excursões oficiais dos Centros de Tradições Gaúchas são designadas por Tropeadas.
h. A pessoa encarregada de zelar pela conservação e manutenção das dependências do C.T.G. é o Peão Caseiro que, se for remunerado, não poderá fazer parte dos órgãos diretivos da entidade.
i. A Condição de Ajuste.

  • A Condição de Ajuste simboliza a contratação de um peão pelo patrão da estância e poderá ser adotada, nos Centros de Tradições Gaúchas, como modalidade de promover um sócio de contribuinte a efetivo.
  • A Condição de Ajuste se constituirá numa prova, que poderá ser prática ou teórica e versará sobre qualquer tema da cultura gauchesca, inclusive da área campeira, ficando a escolha a critério do candidato.
  • A Condição de Ajuste, conforme a natureza da prova escolhida pelo candidato, poderá ser apresentada em festa social ou campeira, em recinto fechado ou ao ar livre.

 
Portal Amigos da Tradição - 2004 | 2014 - WebMaster: Jonatan S. da Costa